terça-feira, 22 de dezembro de 2009

A Boneca do Orfanato II


Os dias foram passando vagarosos e sofridos para Richard, que devido a circunstancias se apoiava e confiava cada dia mais em Lua a única pessoa que o ouvia e que não lhe humilhava.
Richard passava os dias pensando em uma forma de dizer para Lua tudo aquilo que ele sentia, mas nem ele ao menos sabia o que de veras sentia por ela, era tudo muito confuso ele não sabia se gostava ou do fato dela lhe dar atenção, ele só sabia que ao lado dela sentia-se seguro e isso era o suficiente para ele naquele momento entregar seu coração a ela.
Numa manhã lindamente iluminada de quarta-feira, o dia era especial para as crianças, pois era dia de brincadeiras e de liberdade, era feriado. Richard após pensar muito resolve que neste dia tão esperado ele diria a Lua o que sentia por ela. Pegou-se varias vezes treinando discursos pré-definidos, mas no fim das contas viu que assim não fusionava, resolveu dizer apenas o que sentir na hora.
E então o dia foi seguido de um vasto café da manhã, com direito a doces e tudo que uma criança gosta, após o café todos saíram para o pátio para as brincadeiras, Richard sentou-se em um banquinho um pouco afastado para tomar coragem enquanto mais uma vez tenta pré-definir o que irá dizer a Lua,
Ela se encontrava a uns 10 metros de onde ele estava, conversando com uma amiga. Richard a observava e cada detalhe de seu jeito meigo e seus olhos luminosos. Com muito custo ele consegue despregar suas nádegas do banco e caminhar em direção a ela.
Chegou diante dela tremendo, ela imediatamente observou algo diferente no garoto, e disse:

_Richard o que foi? Você está doente?
_Ah, não, eu... eu estou bem.
_Você está tremendo!
_Lua posso conversar a sós com você?
¬ Lua vira-se para sua amiga e diz:
_Carla depois a gente se fala OK?
_Claro Lua até logo.
Lua olha no olhos de Richard e diz:
_O que quer dizer?
_Eu... eu preciso te contar uma coisa que sinto.
_Você está passando mal Richard?
_Não, não é isso.
_Então diga.
_Lua eu, eu não sei se devia mas, mas eu preciso te dizer o que sinto por você. Dês de que cheguei aqui só sofri humilhação por parte das outras crianças e somente você me apóia aqui dentro, eu sinto que posso confiar em você, eu penso em você o tempo inteiro, eu quero estar a seu lado sempre, sua simples presença me faz bem... Lua... acho que estou apaixonado por você.
Lua arregala os olhos estupefata, e sem saber bem o que dizer... pega de surpresa e um pouco confusa disse:
_Que... que lindo isso Richard, eu... eu também gosto muito de você e...
Richard extremamente satisfeito com o que ouvira até então interrompe ela dizendo:
_Eu sabia Lua que você sentia o mesmo, a principio fiquei com medo de te dizer, por que achei que você não gostava de mim dessa maneira mas depois eu tive a certeza do contrário, e agora você me disse. Lua este é o único momento feliz que tive depois que meus pais se foram.
Richard abraça Lua fortemente, e chora em seu vestido amarelo de detalhes brancos, Lua comovida com a situação, abraça fortemente Richard, e em seguida olha em seu rosto e diz:
_Richard, venha comigo.
Então sorrateiramente Richard e Lua se dirigem a atrás do orfanato, onde era impossível vê-los, lua chega perto de Richard pega em sua mão e diz:
_Richard você já beijou uma garota antes?
Richard se assusta com a situação, pois ele não esperava que tão logo ele teria este tipo de contato com uma garota, na verdade ele nem havia pensado nisso quando se declarou a Lua, ele apenas queria dizer que a amava e nada mais. Richard impressionado e muito ansioso diz timidamente:
_Não, nunca tive...
_Então feche os olhos.
Richard fecha seus olhos, e aguarda... aguarda... quando ele pensa em abrir os olhos, sente os suaves lábios de lua tocando os seus, ele meio sem jeito, ela experiente. Lua pega nas mãos de Richard e os envolve em sua cintura, e continua a beijá-lo.
Ele tinha uma sensação que nunca havia sentido antes, era algo quente e nostálgico, ele apenas pensava que poderia passar a vida inteira fazendo aquilo, mas isso é impossível e o beijo chega ao fim.
Richard olha impressionada no rosto de Lua que esboça um suave sorriso, ele imediatamente abraça ela e diz mais uma vez para que ela não se esqueça:
_Lua você é a pessoa que mais amo na minha vida, eu não quero nunca ficar longe de você, me prometa que estará sempre do meu lado?
Lua meio sem jeito evita responder, mas Richard insiste:
_Lua você me promete?
Lua reponde com uma vós sufocada e sem firmeza.
_Sim.
Richard põe-se a chorar novamente. Lua diz:
_Hei Richard não chore, você está feliz ou triste? Enxugue essas lágrimas e vamos voltar ao grupo, OK?
Richard diz, pondo em seu rosto um sorriso de orelha a orelha.
_Sim, claro!
Então ele e Lua voltam ao grupo. Ela se afasta dele e vai em direção a amiga com quem conversava antes, a amiga imediatamente pergunta em tom baixo:
_O que esse menino queria com você Lua?
Lua responde com um tom preocupado na voz:
_Ele está gostando de mim.
_E a o que você fez?
_Eu fiquei com ele.
_Lua, mas não é do Robert que você gosta?
_Fale mais baixo! Sim é dele que eu gosto, mas tive pena de Richard ele parece estar mesmo gostando de mim, não tive coragem de dizer a verdade a ele.
_Ai Lua só você para dar atenção a este garoto estranho, olha aqui eu já falei com o Robert que você é afim dele, e ele também está afim de você, então trate de resolver isso logo.
_Claro, amanhã eu tento dizer a verdade para o Richard e então poderei ficar com meu verdadeiro amor.
_Lua você não devia ter iludido esse garoto!
_Eu já disse eu tenho pena dele, e olha aqui, nem pense em contar para alguém que vou ficar com o Robert o Richard não pode saber disso de jeito nem um!
_É se ele souber vai ser horrível por que eu percebi que o Robert é quem mais judia dele.
_Por isso o Richard não pode nem sonhar em saber!
_OK, OK!

E assim seguiu este dia todo especial para Richard, nem uma das humilhações sofridas por ele naquele dia tiveram grande efeito em seu humor pois ele ocupava sua mente com algo sublime, o amor.

Fim da segunda parte.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Esse blog é dos bons!



Agradecimentos a querida Sophie do blog Lunar Strain que me indicou esse selo *-*

E devo repassa-lo para mais 5 blogs, vamos lá:
Ninho de Gato
Blog da Mitti
Uma bebida e um amor sem gelo por favor
Trash Ablaze
Oferecimento especial a minha nova amiga Leticia do blog Toddy no Leite, esse é o primeiro selo que ela recebe e me sinto honrado que ele parta de mim:
Toddy no Leite

FIM

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

A Boneca do Orfanato I



Raios partiam os céus, era uma noite chuvosa e de pouca luz, na Rua Santo André em frente ao orfanato Luz tudo o que se via era um mendigo sentado cobrindo-se com uma lona preta furada, era uma rua pobre a única construção que se destacava ali era o orfanato.

Ele tinha uma rotina puxada, todos os horários deviam ser obedecidos ou se não o castigo era certo, porem, algumas freiras faziam vista grossa em alguns casos, por pura preguiça, os únicos castigos que eram certos eram os fáceis de dar.

O relógio do orfanato batia 20h naquele momento, hoje era um dia incomum, dia de receber criança nova no orfanato, as freiras posicionavam as crianças em duas filas em frente à porta de entrada. Uma fila de meninas e outra de meninos obedecendo à ordem de tamanho crescente. Todas às vezes era a mesma coisa, quando os alunos eram reunidos na sala para receber novos companheiros, os comentários se arrastavam de um lado ao outro, fazendo um barulho intenso e inidentificável.

A ansiedade dos alunos era sempre absurda, pois não dava para saber o que eles esperavam de seus novos colegas, os comentários continuavam infestando a sala quando em um DING DONG, o silêncio invadiu a sala como um raio, e só o que pairou foi o silêncio pré-revelação.

Imediatamente a irmã Maria precipitou-se à porta, abriu-a vagarosamente, e quando a expectativa já estava exalando das cabeças dos alunos, o colega novo entra pela porta acompanhado de uma mulher grande e magra do serviço social. Imediatamente os alunos frisarão o pequeno Richard, aluno novo, ele era um menino muito baixo, de cabelos lisos e negros, as formas de seus olhos azuis lembravam o olho de um gato, sua boca era pequena e rosada, seu rosto era angelical impossível de se distinguir qual era seu sexo assim como os anjos devem ser.

Ele estava parado ali de cabeça baixa, com suas pequenas mãos sobrepostas, evidente que era um menino muito tímido, mas isso não abalava os alunos que no mesmo momento iniciaram uma ridícula seção de comentários maldosos:

_O que é isso?

_Nos não íamos receber um menino hoje?

_Ele parece mais ume menininha.

_Olha só é um travesti.

_Hei bonequinha!

Meio chocada com o que via a irmã Joana expeliu um agudo e incomodo grito clamando por silêncio:

_Silêncio seus pestinhas!

E assim os alunos puseram-se em silêncio, e irmã disse com uma voz rouca e tremula:

_Querido apresente-se a seus novos irmãos.

Richard deu um pequeno passo a frente e disse com sua voz sufocada e tímida:

_Eu me chamo Richard, tenho 12 anos e meus pais morreram a poucos dias, então fui mandado para cá pois nem um de meus parentes tem condições de me criar.

A irmã Maria pega na mão de Richard e diz:

_Já está bom querido, leve suas coisas lá para cima, tem uma cama preparada para você, ela será a ultima da fila direita, certo querido?

_Sim senhora.

Imediatamente a irmã se vira à uma aluna, e diz:

_Lua, leve Richard até seu quarto.

Ela com sua voz suave e cativante responde:

_Claro irmã.

Ao bater os olhos em Lua, Richard instantaneamente sentiu seu coração vibrar. Lua era uma linda jovem, tinha 15 anos, longos cabelos lisos e castanhos, olhos verdes bem clarinhos que lembravam a água do mar, seus lábios eram carnudos e estreitos bem rosados, era magra um pouco alta. Era linda como Richard nunca havia visto antes.

Lua pegou na mão de Richard em um toque suave, ele ergueu sua mala do chão, ela foi o guiando delicadamente até as escadas onde já era longe dos olhos alheios, então disse:

_Me desculpe pelos comentários de mal gosto dos outros alunos.

_não, se desculpe...

_Eles são muito estúpidos, a maioria é... em todo caso saiba que vai poder contar comigo para tudo, pois cá entre nós, as irmãs são meio negligentes, no primeiro dia são uns amores mas depois nem se importam mais... sabe que outro dia encontrei uma sinta liga e um salto alto no quarto da irmã Joana, dês de então estou investigando para saber em que ocasiões ela usa isso... á me desculpe, eu falo um papagaio!

Richard responde apenas com um sorrisinho sem graça e ela continua:

_Bom, já vi que você não é de falar muito, então vamos subindo? Quer ajuda com a mala?

_Não obrigado, está tudo bem.

Então ela continuou guiando-o até o andar de cima, o chão era de madeira e rangia a cada paço que era dado por Lua com seus sapatinhos rosas o que atraia a atenção de Richard. Então ela para em frente a uma porta aberta escrito “Dormitório Masculino”, Richard olha à adentro.

Era quarto muito comprido paredes de concreto sutilmente pitadas de azul, e o chão de madeira bem lisa, havia duas fileiras de camas, a que ele devia aconchegar-se era a ultima da fileira direita.

Luz chama sua atenção cutucando seu ombro:

_Hei, Richard, eu vou descer, depois que por suas coisas vá para a sala de jantar, fica a direita da porta de entrada do orfanato.

_Certo e obrigado mais uma vez.

_De nada qualquer coisa é só me falar.

Richard entrou no quarto, vou caminhando lentamente, olhando em cima de cada cama e cada criado mudo, percebia-se as características de cada aluno, apenas olhando seus pertences, foi um momento hipnotizante o sonoro toc toc de seus sapatos colidindo com o chão e seus pensamentos voando pelos pertences dos alunos.

Finalmente ele chega em sua cama, parecia ser a mais antiga e gasta, mas isso não representava problema para ele, pois ele já tivera tantos nos últimos dias que nem se importa mais com detalhes tão insignificantes. Ele imediatamente posa sua mala ao lado de sua cama e senta-se, apalpando os lençóis sentindo a delicadeza dos mesmos e imaginando a suave e pálida pele de Lua em suas mãos, e seu pensamento diz para si mesmo:

_Talvez haja uma coisa boa neste orfanato.

FIM da primeira parte.



BOM, gente desculpe a demora para postar essa primeira parte, xD eu queria fazer um desenho do Richard para postar junto, mas adai demoraria mais ainda, então eu resolvi botar o desenho depois... espero que tenham gostado, beijos amo todos!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

M&M's não! Memes!



Este selo muito divertido ^.^ recebi da minha querida Sophie <== espero q esteja correto!

Regras:

Responder o questionário e repassar.

1- Que horas você acordou hoje?
7:30 ¬¬” odeio isso!

2 - Diamantes ou pérolas?
Tanto faz.

3 - Qual foi o último filme que você viu no cinema?
Helloween.

4 - O que você come geralmente no café da manhã?
Nada.

5 - Qual comida você não gosta?
Carne seca =P ÉCA!'

6 - No momento qual é o seu CD favorito?
Atheos da banda GPKISM..

7 - Sanduíche favorito?
Qualquer um.

8 - Que característica você detesta?
Falsidade.

9 - Se você pudesse ir pra qualquer parte do mundo de férias, pra onde você iria?
Japão ou Suécia.

10 - Onde você gostaria de se aposentar?
Ainda não é hora de pensar nisso ^^

11 - Qual foi o seu aniversário recente mais memorável?
O meu niver de 7 anos ¬¬” , faz tempo kkkk

12 - Esporte preferido pra assistir?
Vôlei.

13 - Quando é o seu aniversário?
21/05

14 - Você é uma “morning person” ou uma “night person”?
Night total ^^

15 - Quanto você calça?
39/40

16 - Animais de estimação?
Por enquanto nem um, mas estou fazendo planos de comprar uma tarântula macho, e vou botar o nome de Morgana nele *-*

17 - Alguma novidade que você gostaria de compartilhar?
Não.

18 - O que você dizia que queria ser, quando criança?
Dentista.

19 - Como você está hoje?
Doente.

20 - Qual é o seu doce preferido?
Praticamente qualquer coisa que seja doce me agrada..

21 - Qual a sua flor favorita?
Nem sei.

22 - Por qual dia do calendário você está esperando ansiosamente?
Nenhum.

23 - Qual o seu nome completo?
Ramon Paixão Spadetti

24 - O que você está escutando agora?
GPKISM, Seilee, Megaromania, Velvet Éden, slayer, Legion of the damned, Dr. Accula.

25 - Qual foi a última coisa que você comeu?
Cocinha de frango com catupiri *-*

26 - Você faz pedido para as estrelas?
Coisa de doido!

27 - Se você fosse um lápis de cor, que cor seria?
Preto.

28 - Como está o tempo agora?
Calor, e as vezes chuvoso.

29 - Última pessoa que você falou no telefone?
Minha mãe.

30 - Refrigerante preferido?
Fanta Laranja

31 - Restaurante preferido?
Qualquer um que tenha batata frita.

32 - Qual era o seu brinquedo preferido quando criança?
Bonecos do homem aranha

33 - Inverno ou verão?
Inverno.

34 - Beijos ou abraços?
Depende de quem.

35 - Chocolate ou Baunilha?
Chocolate.

36 - Café ou chá?
Chá.

37 - O que tem debaixo da sua cama?
Meu amigo imaginário.

38 - O que você fez na noite passada?
Baixei umas musicas da banda Seileen

39 - Do que você tem medo?
De coisas de outro mundo G_G e de pessoas.

40 - Salgado ou doce?
Amo doces, amo, amo, amo, tem vezes que me dá tanta vontade de comer doce que eu passo mal xP, mas gosto de coisas salgadas tbm, dependendo da situação.

41 - Quantas chaves tem no seu chaveiro?
Eu nem tenho um.

42 - Dia preferido da semana?
Sábado.

43 - Em quantos lugares você já morou?
Só um, onde moro hoje em dia.

44 - Você faz amigos facilmente?
Não mesmo, eu sou extremamente tímido =/

Vou repassar para:

Alone in the Dark

Blog da Mitti

Bebidaeamorsemgeloporfavor

Ninho de Gato

Pronto ^^ valewssss pessoas!

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Não é a hora!



Mais um desenho


Não posso dormir, meus olhos não pregam.

Sinto vossa presença em meu quarto.

Acendo a luz.

Finalmente chegaram.

Eu estive esperando durante todo este tempo.

Não me olhem assim!

Vocês demoraram a chegar.

Eu pensei que ainda sofreria por muito tempo.

Mas vocês estão aqui agora.

Prontos para me tirar desta agonia.

O que estão fazendo?

Aonde vai?

Me levem junto.

Não se vão.

Eu esperei de mais por isso, vocês não podem me deixar aqui.

Por que me chamam de covarde?

Então por que vieram aqui?

Só para eu me sentir pior?

Por favor não se vão!

É tarde!

Eles não me levaram junto.

Acordo em uma cama de hospital.

Vejo minha esposa e filha, sentadas chorando perto da cama.

Vejo meus punhos cortados.

Entendo por que não fui levado.

Alguém se importa comigo!

domingo, 18 de outubro de 2009

Esse Blog é de Mais

Regrasss!!
Responder as questões:

O que um blog deve ter não somente para você segui-lo, mas para seguir e participar?

Um conteúdo interessante, no qual eu me identifique *--*


Qual foi o principal motivo que te levou a abrir seu blog?

Nada de mais, eu simplesmente resolvi escrever algo e depois de pronto pensei em mostrar para as pessoas... e nada melhor que um blog para fazer isso, e inclusive to amamdo td isso *-*


O que os selos representam no seu blog?

Significa que existem muitas pessoas boas dspostas ajudar e acompanhar meu blog.


Existe algum motivo no mundo pelo qual você abriria mão de continuar com o blog? Qual(s)?

Não sei ao certo mas talvez falta de tempo =/



Repasse para ao menos cinco blogs que são demais:

Bom primeiramente gostaria de agradecer a minha querida Ismália do blog Ninho de Gato !

vou repassar este selo para os seguintes seres:

Blog da Mitti

Trash Ablaze

Lunar ~ Strain

Alone in the Dark

Olimpo do Desejo

Prontimmmm ;D

sábado, 17 de outubro de 2009

Atualizando!

Bom gente to passando aki só pra dar umas palavrinhas, comçando eu postei um desenho q fiz logo acima, sem nem um motivo em especial xD. Bom meus dias ultimamente tem sido muito felizes xD, mesmo q nda esteja corredo anormalmente bem! eu não sei qual o motivo desta nostaugia, já q tive muitos problemas e cotinuo tendo, mas algo me diz q isso é devido ao trabalho q me faz se sentir mais útil e me ajuda a não ouvir meu pai reclamar no meu ouvido =))).
Outro motivo q me deixa super feliz é a perfeita noticia de q a banda q mais amo vai finalmente lançar um CD completo com PV(video clip) e td, q será lançado no mês de novembro, são bandas como o Megaromania que fazem dos meus dias mais alegres =DDD, pra quem se interessar aki está um video da banda:

http://www.youtube.com/watch?v=31kvAg2k8_Y

E mais conheci uma banda nova q já tah guardada no meu coração, é a GPKISM, é uma banda japonesa tbm, muito apaixonante, pra quem quiser aqui vai um video da banda:

http://www.youtube.com/watch?v=oUFhkRRSUg0

E bom vamos ao que interessa, ando pensando muito no tema do proximo conto mas sinceramente não faço idéia sobre o que escrever... mas sinto q logo acho algo legal é só eu pensar um pouquinho mais... e espero tbm q alguém leia esse post dkosadkpsa o q acho bem pouco provável, pq é triste vc escrever pra ninguém ler dksoadkospa =P.
E quanto aos finais trágicos de meus contos, to pensando em fazer algo menos dramático no próximo não sei, mas nunca abandonando a boa obscuridade, romance e violência, e quanto as pessoas q leêm os contos e pensam que sou alguem violento ou sei lá... tipo nada haver xD eu sou bonsinho não fasso mal pra ninguém, acho q esses contos vem apenas de uma outra personalidade q vive dentro de mim, no caso to explorando meu lado mal!

Bom Galeras é isso ai quem quiser me add no msn tah aki ramonspadetti@hotmail.com

AMO TODO MUNDO!

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Este Selo recebi da parceira Mitti do blog: Blog da Mitti. Mitti muito obrigado por este selo, te desejo ainda mais sucesso no seu blog pq vc merece muito, bjosss te adoro!

indico este belo selo para:
Caldeirão do Merlim
À Flor da Pele
Bebida e Amor Sem Gelo Por Favor
Coisas de Menina
Alone In the Dark
Confissões de um Enigma
Ventus
Alem do Bunker
Trash Ablaze
Session Limited
Ninho de Gato
Senta que lá vem a história

Antropophagia Amorosa PARTE QUATRO FINAL



Na manhã de sábado do dia seguinte, acordei sentindo-me pesado e fraco, o que não me impressiona pois havia passado a noite inteira acordando pensando em qual seria a instrução final do “Cupido Negro”, eu sentia que podia confiar nele, pois ele passava segurança em suas palavras e alem disso sua ultima instrução fusionou perfeitamente.

Tomei o café da manhã mais uma vez sozinho, neste final de semana meus pais estariam fora, viajem à passeio, o que me deixa furioso é quem nem tiveram a delicadeza de me avisar ou até mesmo me convidar, mesmo sabendo que eu não iria. Mas isso não me abalou por mais de 3 minutos, pois eu tinha coisas muito mais importantes para pensar, como ir à casa da Gabriela pedir desculpas pela noite anterior.

Foi exatamente o que fiz o relógio mal marcou 10:00 horas e eu já estava a caminho, finalmente depois dos meus recentes sofridos dias eu podia ver uma luz no fim do túnel, a esperança mais uma vez podia tocar meu coração. Toquei a campanhinha... após alguns segundos alguém abre a porta lentamente, não sei por que motivo um mistério toma meu coração por alguns instantes.

Então a própria Gabriela mostra seu rosto angelical entre a brecha da porta, ela fica séria quando me vê e diz:

_Desculpe por ontem.

_Não meu amor, quem deve se desculpar é eu, nos últimos dias tenho agido como desesperado e... após refletir um pouco finalmente vejo que você tem razão, não há o que ser feito, apesar de nosso amor ser intenso não temos escolha se não aceitar a situação.

_Você não sabe como fico feliz em ouvir isso de você, pensando assim minha partida vai ser menos dolorosa, para você e para mim também, você sabe que te amo e nunca vou querer te ver mal.

Então ela olha para os lados, abre a porta toda e me convida para entrar:

_Oh, desculpe esqueci-me de te convidar para entrar, entre, por favor!

_Claro!

Ao entrar vejo que a casa está vazia e escura então pergunto:

_Onde está todo mundo?

_Ah, meus pais saíram foram fazer uma visita a uma tia.

_ E por que você não foi?

_Alguma coisa me dizia que você viria aqui hoje.

_Entendo.

Ela foi subindo as escadas para o seu quarto e disse:

_Vem comigo, quero te mostrar uma coisa.

A observei subir as escadas, as formas de suas pernas brancas aliando-se com sua saia curta me deixavam louco, fiquei tão encantado em vê-la pela milésima vês no mínimo, todas as vezes são assim, todas as vezes que estamos juntos namorando ou fazendo amor, é como se fosse a primeira vez. Após alguns segundos estáticos vendo ela subir, finalmente volto a si e quando isso acontece ela já não está no alcance de meus olhos sedentos.

Quando me adianto até as escadas, escuto uma voz me chamando:

_Leandro, Leandro aqui em baixo!

Eu já podia imaginar quem me chamava, retornei o primeiro degrau da escada e caminhei em direção à voz.

_Leandro preciso lhe dar a ultima instrução!

Apressei os passos para chegar até a voz, e vejo que ela vem da cozinha, entro, e lá estava ele segurando uma enorme faca, com uma gaveta aberta do seu lado, e então ele diz erguendo a faca no ar e com um tom demoníaco na voz:

_Este será o instrumento de sua paz amorosa, está faca é a porta para sua felicidade eterna.

_O que você quer dizer com isso? Você está louco?

_Louco? Eu sou o mais profundo poço de sensatez, eu sei o que você precisa para ser feliz só eu posso lhe dar a resposta que procura.

_O que pretende que eu faça com essa faca?

_É bem simples.

Então ele me disse seu plano para que eu atinja a felicidade eterna, achei tudo aquilo uma grande loucura, eu não podia cometer tal ato, mas após ouvir um pouco mais do que ele tinha a me dizer acabei vendo que era a única forma de eu estar junto de minha amada pela eternidade, eu juro que se houvesse outra saída eu tentaria mas não havia a única esperança que eu tinha estava nas palavras deste “Cupido Negro.

Tomei a faca de sua mão e a escondi por baixo de minha camisa na parte de trás, e fui em direção a escada, subi-as, chegando no quarto de Gabriela ela estava apenas de calcinha, me aguardando em sua cama, ao me ver ela comentou:

_Nossa como você demorou, eu acho que já que vamos ser separados ao menos devíamos ter nosso ultimo momento intimo juntos, e essa é a melhor oportunidade.

Ao vê-la ali pronta para se entregar totalmente a mim, não pude resistir tirei a camisa cuidadosamente escondendo a faca e a pus no chão, fui andando em direção a minha amada, puxei ela para si, e a beijei como nunca havia beijado antes, afinal essa seria nossa ultima noite unidos em corpo, pois em breve estaríamos juntos em alma.

Ali passamos nossa mais intensa relação amorosa, fizemos como nunca havíamos feito, loucamente e esbanjando todo o sentimento que tínhamos um pelo outro, após término, ficamos deitados por uns minutos nos acariciando como dois pombos, foi então que levantei. Tranquei a porta do quarto e disse:

_Tenho uma surpresa para você.

_Surpresa é?

_Sim, eu descobri a uma maneira de ficarmos juntos.

_De novo essa história eu pensei que você já havia se convencido...

Após pensar um pouco ela disse:

_Me diga que maneira é essa de ficarmos juntos.

Adiantei-me a minha camisa no chão e saquei a faca, a ergui no ar e disse olhando em seus olhos:

_Este é o instrumento e unirá nossas almas pela eternidade!

Ela imediatamente levantou-se da cama, e com um olhar muito tenso disse:

_O que significa isso? Você está ficando louco?

_Louco eu seria se te deixasse que tirem você de mim.

Adiantei-me a ela e a segurei imobilizando , disse em seu ouvido:

_Nosso amor será eterno, eterno como nossas almas que viveram juntas em um só corpo.

Segurei seu delicado rosto, forçando-o para o lado para que seu pescoço ficasse livre facilitando o escorregar da afiada lamina que possuía, passei a faca em seu pescoço, sua pele branca e suave rapidamente se inunda de seu sangue vermelho vibrante, ela fazia sons estranhos enquanto sentia sua garganta inundar e engasgava com o sangue, eu a deitei no chão, e dei o meu ultimo beijo em sua boca ensangüentada.

Após sua morte, com muito esforço abri sua caixa torácica, removendo seu coração. O sangue já se alastrara por todo o quarto, o prazer que me dava enquanto a retalhava era diabolicamente indescritível, mas tudo que eu fazia era visando o bem maior de nosso amor.

O Cupido Negro havia me dito que se eu comesse o coração dela nossas almas viveriam juntas em meu corpo e dessa forma enquanto eu vivesse e após minha morte, estaríamos juntos para sempre, e foi exatamente o que eu fiz. Usando a faca fui fatiando pedaços de seu coração e comendo até que finalmente havia comido tudo.

Após terminar me sentia mais leve, com uma sensação de problema resolvido, agora nós podíamos ser felizes para sempre, isso que é um verdadeiro final feliz. Avistei seu corpo ali estirado e retalhado, mas não me importei em retira-lo e nem limpar o quarto, pois nada mais importa, agora que ela está dentro de mim, não me importo com o que venha a me acontecer.

Estou feliz e serei para sempre feliz, pois enquanto meu corpo sofre as conseqüências nossas almas estarão dançando e fazendo amor pela eternidade.

FIM

Estou Aprisionado Neste Blog



Regras :

1 - Criar uma postagem como esta no seu blog.
=D certo

2 - Indicar o blog que te indicou, linkar ele ao seu ou postar o banner dele ao seu. http://bebidaeamorsemgeloporfavor.blogspot.com/ <== Inclusive tem me mandado muitos selos =D agradecimentos especiais a essa pessoinha especial a Lilian!

3 - Responda as perguntas:

- Quais sao as tres coisas que te aprisionam, mas voce ama ser aprisionado por elas?
Musica
Pessoas
Jogos


- Quais sao as tres coisas ruins que te aprisionam?

Timides
Preguiça
Internet

- Quais sao as tres coisas que te aprisionam, voce gosta, mas morre de vergonha de assumir? XD Desenhos infantis
algumas musicas
eu sou tarado O.O


4 - Repassar o selo para 12 blogs os quais voce ja esta aprisionado.
Caldeirão do Merlim
À Flor da Pele
Bebida e Amor Sem Gelo Por Favor
Coisas de Menina
Alone In the Dark
Confissões de um Enigma
Ventus
Alem do Bunker
Trash Ablaze
Session Limited
Ninho de Gato
Senta que lá vem a história

Prontinho xD

domingo, 4 de outubro de 2009

Antropophagia Amorosa PARTE TRÊS


No mesmo dia após o colégio, Gabriela me convidou para almoçar em sua casa, fomos andando em destino a casa dela conversando:
_Leandro, eu estou sofrendo tanto quanto você com isso tudo, eu não sou capaz de imaginar minha vida longe de você... longe de seus carinhos, longe de sua voz, mas eu sinceramente não sei o que fazer, não vejo saída!
_Meu amor não se preocupe eu já te disse que irei achar uma maneira, eu não permitirei que você seja afastada de mim nunca, não importa o que seja preciso fazer eu farei!
Ela abaixou a cabeça com um olha muito triste, deixando transparecer o fato dela não ter fé no que eu dizia.
_Leandro... é melhor deixamos tudo como está, é fato que não há saída... alem disso eu posso vir te ver nos finais de ano.
_Finais de ano não serão o suficiente, eu preciso de você todos os dias, meu dia só começa quando vejo seu sorriso... Você não entende? Eu te amo mais que qualquer coisa, mais que qualquer pessoa!
Então seguimos, ela calada, não disse nada durante o resto da caminhada. Chegando a casa dela a primeira pessoa que vejo era seu pai, o sorriso estampado naquela face velha dele me irritava profundamente, como ele podia sorrir? Como estava feliz enquanto acabava com minha vida? Por uns instantes senti vontade de matá-lo, isso resolveria meu problema, mas me traria outro.
Alguns minutos depois nos sentamos a mesa para almoçar, a luz do sol cobria toda a mesa entrando diretamente da janela a nossa direita, naquele momento meu coração se cobriu de uma paz indescritível, como estar ali com ela, algo tão simples podia me fazer um bem tão esplendoroso? A única resposta que me vinha a mente era a palavra Amor, este momento me fez ver mais ainda como será dolorosa sua partida.
Após o almoço sentamos no sofá, assim como todas as vezes eu olhava profundamente em seus olhos, captando cada sentimento que ele me transmitia através de seus olhares, eu dei um doce beijo em sua boca delicada, e cada vez eu sentia que ela fazia parte de mim, parte vital, que não pode ser retirada, então eu disse:
_Foge comigo!
_O que disse?
_Vamos fugir...
Ela parou para pensar, olhou para mim com um olhar sério e disse:
_Isso está fora de cogitação.
Eu por um minuto havia me esquecido como ela era sensata ela nunca faria uma loucura dessas, então ela continuou a falar:
_Eu não quero que você pense nessas loucuras, droga Leandro para de tentar lutar contra o destino, se Deus quis assim é assim que vai ser, você não tem que tentar lutar contra, uma vez por que não há o que você e nem eu possa fazer, por que você não vê isso?
Ao terminar esta frase seus olhos escorreram tantas lagrimas que em questão de segundos seu rosto já estava todo encharcado. Eu era capaz de sentir o sofrimento dela em cada palavra que saia de sua boca, eu sentia que doía mais nela estar falando isso do que em mim que estava ouvindo, então dei um abraço bem apertado nela, e disse em seu ouvido:
_Eu nunca vou desistir de estar com você, eu tenho um amigo que com certeza pode me ajudar.
Ela saiu do abraço e perguntou olhando em meus olhos:
_Que amigo é este?
_Se eu te contasse você não acreditaria!
Ela olhou brava para mim e disse:
_Você não escutou nada do que eu te disse não é mesmo? Leandro entenda, eu não quero que você tente dar um jeito nisso!
_Eu não me importo, eu vou da um jeito nisso você querendo ou não!
_Basta! Você está ficando louco, por favor vá embora, eu não quero mais te ver!
Naquele momento foi como se uma flecha de espinhos estivesse sendo introduzida em meu peito bem de vagar. Eu levantei do sofá e olhando nos olhos dela eu disse:
_Agente vai ficar juntos para sempre e não há que me faça mudar de idéia!
Segui em direção a porta da saída, e fui pela rua, a cada passo que eu dava em direção a minha casa era uma lágrima que escorria de meus olhos, eu já estava perdendo as esperanças. Chegando em casa fui direto para meu quarto, larguei minha mochila no chão e me joguei na cama, e coloquei-me a chorar, quando uma voz me surpreende:
_É só eu deixar você sozinho um segundo e você faz tudo desandar!
Olhei para traz muito assustado... e ele estava lá, parado, com sua face fria e suja de sangue, e ele disse:
_Como você é tolo Leandro!
_O que você queria que eu fizesse?
_Para começar, amanhã mesmo você vai pedir desculpas a ela e dizer que irá parar de lutar contra o destino!
_Mas eu nunca vou deixar de lutar...
_Seu tolo, só por que você vai dizer para ela que vai parar não que dizer que irá de fato!
_Entendi.
_Após fazer isso me aguarde que te darei o próximo passo, o passo final, que fará você ficar junto dela pela eternidade!
_Obrigado, não sei o que dizer... você é um anjo afinal?
_Eu não diria um anjo, mas tenho meus métodos de fazer as pessoas se darem bem.
Depois desta conversa passei o reto do dia mais animado, eu mal podia esperar para saber como ficar junto dela para sempre, só o que tinha a fazer era esperar o dia seguinte, eu estava realmente ansioso.
CONTINUA

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Minha nota 10 é pra você.

Este selo muito lindo recebi de uma pessoa mais linda ainda, a Lilian ela me deu meu segundo selo =] to feliz dimais, obrigado Lilian te desejo muita sorte com seu blog heim, bjoss.

Regras:

A- Escrever uma lista com 8 características sua;
B- Convidar 8 blogueiros para receber o selo;
C- Comentar no blog de quem lhe deu o selo.
D- Comentar no blog de quem você escolheu.

Vamos à minhas acracterísticas:
1-Timido
2-bondoso
3-Facilmente Imprecionavel
4-Criativo
5-amoroso
6-Bobo
7-engraçado (TENTO)
8-Burro

Agora os blogs que merecem o selo:
alem do bunker:
www.alemdobunker.blogspot.com

Confissões de um Enigma:
http://confissoesenigma.blogspot.com/

À FLOR DA PELE...:
http://selmaaflordapele.blogspot.com/

Caldeirão Do Merlim:
http://caldeiraodomerlim.blogspot.com/


Ventus
http://ventus-ventus.blogspot.com/

Lunar Satrain:
http://sophie-west.blogspot.com/

Blog da Mitti:
http://blogdamitti.blogspot.com/

Alone in The Dark:
http://fighter-girl-power.blogspot.com/

8 blogs indicados e comentados, comentei no blog q indicou o selo... td certo agora eh soh alegria de novo =D

Antropophagia Amorosa PARTE DOIS



Acordei na manhã seguinte com o incomodo despertar do relógio, aquele barulho intenso me incomodava profundamente como nunca havia incomodado antes, soltei minha mão em seu botão de desligar e foi um alivio para meus ouvidos, sentei na cama, visei o espelho do guarda-roupa onde na noite anterior havia visto um vulto estranho, me peguei a perguntar por uns segundos se eu realmente havia visto algo ou estava sonhando.

Já na mesa do café o clima era frio, como sempre fora, meus pais vivem para seu trabalho nunca deram atenção para meus problemas não seria agora que iriam se importar, tomei meu café extremamente perturbado por meu problema recente.

Cheguei no colégio um pouco atrasado, todos já estavam em sala de aula, entrei pela porta da frente e caminhei pelos corredores em direção a minha sala, quando der repente eu avisto ao fim do corredor algo estranho, parecia um homem vestido de preto, era impossível ver seu rosto pois seus cabelos compridos e negros o tapavam, esfreguei meus olhos afim de retomar a realidade, e nada mudava, o homem continuava lá estático. Após observá-lo por uns estantes ele abre duas longas asas negras.

Caminhei em direção a ele vagarosamente, ia me aproximando gradualmente sem pressa, eu esta tremulo pois não sabia ao certo o que via em minha frente, quando me aproximei mais um pouco, as luzes se apagaram rapidamente e quando voltaram o homem já não estava ali, ele havia sumido como em um passe de mágicas, fiquei alguns segundos ali estático extremamente impressionado com o que acabava de ver.

Retomei o rumo a sala de aula, entrei, sentei, e enquanto ouvia a voz aguda e irritante da professora de matemática, um ódio ia tomando conta de meu coração, a vontade que eu tinha era de arrancar a cabeça dela com minha cadeira. Finalmente a aula acaba e entra um outro professor, ele põe-se a lecionar sua matéria inútil de física, e eu ponho-me a cochilar. Quando acordei já era fim de aula e intervalo do recreio, sai rapidamente da sala, olhando atentamente a todas as direções na esperança de encontrar meu amor, a Gabriela.

Chegando no refeitório eu vejo ela sentada em uma mesa, mas tinha um garoto com ela, eu me adiantei aos dois e perguntei:

_O que está havendo aqui?

Gabriela respondeu:

_Oi meu amor!

_Gabriela eu te fiz uma pergunta.

_Á... Este é o Wander, ele está me explicando algumas coisas da cultura americana, já que vou morar lá tenho que saber de algo.

_Você não vai morar lá, eu te disse que ia dar um jeito de você ficar comigo... Quanto a você moleque, sai agora daqui antes que eu arrebente essa sua cara feia!

Gabriela diz com uma expressão de desaprovação:

_Leandro o que está havendo com você? Que comportamento ridículo é este?

_Este idiota quer roubar você de mim!

_Leandro deixe de ser tão paranóico, a gente só estava conversando... olha aqui só volte a falar comigo quando você voltar a ser como era!

_Mas Gabriela você não me entende!

_Eu sei que você esta chateado com o que estamos enfrentando, mas isso não lhe dar o direito de ser grosseiro com as pessoas, eu estou indo para minha sala, pense bem no que você fez depois venha falar comigo!

Eu sai dali furioso, ela parecia não se importar com o fato de estarmos prestes a sermos separados, eu comecei a chorar der repente e corri para o banheiro para que ninguém me visse assim. Chegando lá fui até a pia, passei uma água no rosto, abaixei a cabeça, abri os olhos e... havia algo dentro do ralo da pia, era um olho, ele olhava freneticamente para todos os lados e quando me avistou frisou-se em mim. Fiquei muito espantado, afastei-me da pia, e quando olhei no espelho ao invés de meu reflexo havia um homem, parecia o mesmo que tinha visto mais cedo, só que agora eu podia ver seu rosto e havia algo bizarro nele que me chamou muito a atenção, ele não tinha olhos, no lugar de olhos haviam apenas cavidades cobertas de sangue que escorriam por seu rosto.

O homem disse:

_Olá Leandro!

Eu respondi com a voz muito tremula:

_O que você quer?

_A questão não é o que eu quero, e sim o que você quer!

_O que quer dizer com isso?

_Eu sei de seu problema e também sei como lhe ajudar.

Ele dizia isso sorridente isso me irritava muito, então perguntei:

_O que é você?

_Uhmm... Digamos que sou um cupido... Mas não um comum, um diferente.

_Diferente por quê?

_Eu vim para espalhar o verdadeiro amor no coração dos homens.

Me afastei do espelho observando aquela figura bizarra de grandes asas negras, encarei-o por um tempo, me perguntando se devia pedi-lo ajuda, foi quando eu disse:

_Você pode me ajudar?

_Foi para isso que eu vim.

_Então o que tenho que fazer?

_Primeiramente, peça desculpas a ela por seu comportamento no refeitório, tisc, tisc, tisc o que você fez não foi nada cordial.

_Certo eu farei isso.

O cupido negro verifica seus pulsos como se estivesse olhando em um relógio e diz:

_Bom, devo ir agora, ainda tenho muitos casais para unir e para manter unidos.

Apesar de achar tudo muito estranho, eu ouvi o que ele dizia pois ele parecia tão seguro do que falava, ele causava a impressão de ser realmente sensato. Tomei rumo a sala de aula da Gabriela, cheguei lá e me desculpei pelo o que havia feito, e então eu pude ver de novo aquele brilho nos olhos dela, aquele mesmo brilho que me transportava por nossas lembranças. Me senti satisfeito por enquanto, mas mal podia esperar pelas próximas instruções do Cupido negro.

CONTINUA

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Antropophagia Amorosa PARTE UM



Olhando nos olhos dela eu me transporto as mais antigas lembranças, lembranças de quase uma vida toda, eu á conheço dês de que me dei por gente, nós crescemos juntos e nosso amor cresceu também. O nome dela é Gabriela, nós namoramos já faz 4 anos, e sempre nos demos muito bem, sem desgrudar meus olhos do dela eu me sinto como um viajante no tempo, vendo tudo o que fizemos juntos e imaginando o que ainda vamos fazer.

Com muito esforço ponho-me em retirada deste transe absoluto, absorvo sua beleza com meus olhos contemplando cada detalhe de seu rosto, ela é milimétricamente perfeita, seus lábios são como pétalas de rosa, vermelhos, seus grande olhos verdes são meu portal das lembranças e seus cabelos negros e ondulados me trazem a mente a escuridão da noite sem lua, eu a amo e faria de tudo para sempre estar junto dela.

Nesta noite fui convidado a jantar em sua casa, estávamos sentados no sofá contemplando o que sentíamos de mais belo, o nosso amor, quando ela me surpreende dizendo:

_Amor preciso lhe dizer uma coisa muito importante.

_Diga meu bem.

_É... O papai recebeu uma proposta de emprego nos Estados Unidos, e nós pretendemos nos mudar para lá.

Instantaneamente escorreram lagrimas em meu rosto e eu disse:

_Vocês não podem se mudar daqui, vocês viveram aqui a vida inteira, nossa história juntos está toda aqui.

_Mas meu amor não é algo que eu decido, se dependesse de mim eu viveria aqui com você até a morte...

_Deixe eu irei pensar em uma forma de nós ficarmos juntos, só preciso de um tempo para isso.

_Eu não acho que aja saída, mas se você prefere pensar em algo tudo bem.

Ela encerrou nossa conversa com um doce beijo, beijo que já recebi muitas vezes e que nunca vou cansar de receber por que toda vez é como se uma chama fosse acesa em mim.

Ao fim da noite fui embora, vagarosamente andando pela rua já deserta, pensando em como eu faria para tê-la junto a mim para sempre. O vento da noite maltratava meu corpo, olhei a diante, via apenas as luzes dos postes me encarando como enormes olhos de fogo, ao olhar mais alem eu via a escuridão que a noite deixava cair ao horizonte, eu estava mais triste do que nunca, pois não sabia como fazer o que preciso.

Ao passar perto de um banco vi um casal se beijando fervorosamente, eles não sabiam que alguém passava por ali, reparei que a situação dos dois acabaria na cama, eles estavam felizes, pois não tinham riscos de perder quem se ama. Continuei a caminhar pensando... finalmente chego em casa, subo para meu quarto e me apronto para dormir, pois no dia seguinte teria aula e o que eu menos precisava era de uma mente cansada, já que havia a necessidade de encontrar uma solução para meu problema.

Durante a noite sinto uma mão me tocar, acordo e examino meu quarto apertando os olhos para enxergar na escuridão, olho de um lado ao outro e não vejo absolutamente nada, quando avisto o espelho de meu guarda roupa, eu vi algo, algo rápido, não pude identificar bem, apenas percebi grandes azas negras, com o susto eu deito minha cabeça no travesseiro a deixando afundar, rapidamente cubro minha cabeça, e então escuto uma voz sussurrante me chamar:

_Leandro, Leandro, Leandro, eu tenho a solução para o seu problema...

_Cale a boca, saia do meu quarto, eu não quero te ouvir!

_Eu vou me retirar por hoje, mas saiba que quando precisar eu vou estar lá.

Eu imediatamente comecei a tremer de medo, mas a voz já havia cessado a coisa parecia ter ido embora, após algumas horas meio nervoso eu consigo dormir, mas paira no ar um mistério que ser é este que pretende me ajudar? Será que é ajuda mesmo o que ele oferece?


CONTINUA

Cartão Vermelho!



Recebi este selo do blogeiro q tah me dando mais apoio, tah me ajudando no meu inicio pois essa é a fase em q precisamos de toda ajuda possivel, sendo mais especifico a boa alma q me deu este selo foi o Bleeding Angel do blog CELA II: http://anovacela.blogspot.com/
por tanto brigadão cara, meu primeiro selo veio de vc vou lembrar sempre disso, vamos as regras =D

“Cada um deve fazer uma listinha com 10 escolhidos para dar o cartão vermelho. Pode ser uma pessoa, uma atitude, enfim, tudo aquilo que, de alguma forma, nos incomoda - se quiser e precisar, dê uma justificativa breve. Após fazer isso, passe a bola para mais cinco blogueiros e vamos ver no que dá…”

Agora vou listar as 10 coisas q mrecem cartão vermelho!
1-Pessoas Fúteis
2-Corruptos
3-Traição
5-Falsidade
6-Violência sexual em Geral
7-Preconseito de todo o tipo
8-falta de respeito
9-criminosos
10-Peossas Hipócritas

Irei indicar este Cartão Vermelho para:

alem do bunker:
www.alemdobunker.blogspot.com

Uma Bebida e Um Amor Sem Gelo Por Favor...: www.bebidaeamorsemgeloporfavor.blogspot.com

Confissões de um Enigma:
http://confissoesenigma.blogspot.com/

À FLOR DA PELE...:
http://selmaaflordapele.blogspot.com/

Caldeirão Do Merlim:
http://caldeiraodomerlim.blogspot.com/

Prontim agora eh soh alegria xD!





sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Uma Palavrinha

Bom gente espero que tenham gostado de meu primeiro conto, que na verdade é o primeiro texto que escrevo, antes eu apenas imaginava mas a 4 dias atrás resolvi começar a escrever e deu nisso ai, bom eu sei que minha escrita não é grandiosa nem nada mas pesso desconto pois eu to inciando agora (agora MESSMO).
Falando de meu proximo conto agora... o titulo será Antropophagia Amorosa, vai ser uma mistura de romance doentio com assassinato, espero que todos gostem e comentem pq são os comentarios que me dão motivação a continuar obrigado por td galera, até o proximo conto do Refugio!

Mistério Da Donzela de Branco TERCEIRA PARTE



Acordei na manhã de segunda feira e não tive tempo para nada, apenas me arrumei e fui direto para o trabalho, trabalhei totalmente disperso não rendi nada neste dia e como poderia? A todo segundo pegava-me pensando na madrugada maravilhosa que havia passado, as formas de seu corpo não saiam de minha cabeça, que mulher, que cabelos, que olhar! ela era tudo o que sempre sonhei na estética humana, mas eu mal sabia se era humana.
No intervalo para o almoço ouvi uns colegas comentarem que iriam demolir a casa antiga hoje, fiquei triste pois minha primeira noite com a misteriosa donzela de branco havia sido lá, mas não muito abalado pois casas e motéis havia aos montes na cidade, eu mal podia esperar para vê-la mais uma vez.
Voltei para casa com os pensamentos voando, imaginava onde ela estaria, em outro plano? Outra dimensão? O que mais me fascinava era este mistério, sentei-me no sofá frisei meus olhos no tento e botei-me a caminhar nas turvas e psicodélicas estradas de minha mente, procurando a cada esquina uma teoria para explicar aquela linda aparição, pensei, seria um anjo? Teoria furada anjos não tem sexo, após uma hora estático no sofá apenas imaginando, cheguei a uma teoria não menos absurda porem mais adequada ao contexto, só podia ser um fantasma, um fantasma que assombra meu libido e meus desejos mais ocultos.
Não resisti a tentação de vê-la de novo, levantei do sofá e fui direto para a rua da casa antiga, sem beber pois a bebida me atrapalhava a lembrar dos detalhes no dia seguinte. Chegando lá a casa já estava aos destroços, só o que restava dela era uma grande quantidade de entulhos empilhados de forma desordenada, sentei na calçada em frente a casa destruída, observei a rua, ela estava vazia como sempre, havia apenas o vento gelado que levantava as folhas secas e o lixo do chão, era uma noite sem estrelas a lua mal se via, a noite mais melancólica que já havia visto.
Tomei a esperar e esperar, e nada acontecia, a única coisa viva por ali era um rato de esgoto que me observava ao longe:
_Rato maldito não me olhe assim, e não venha me dizer que sou insano o que eu espero é real, eu senti na pele que é, volte para seu esgoto onde é o lugar de criaturas tão horrendas.
O rato se aproximou e disse:
_Malditos homens que se encantam por suas fantasias de embriagues, vá embora não há nada para você aqui, ponha-se na realidade e continue sua vida medíocre de regras sociais, sou imundo porem sou livre, faço o que quero na hora que quero e quanto a você?
Muito assustado com o que acabara de ver e ouvir, esfreguei meus olhos e orelhas e tornei a olha para o rato. Ele andava de um lado ao outro fuxicando lixo, pensei:
_Devo estar ficando louco de sono, é melhor eu ir embora, ela não vem hoje.
Então segui minha rotina durante 2 meses, trabalhando e indo na rua da casa antiga todas as madrugadas na esperança de vê-la mais uma vez. Foi em vão ela não aparecia mais, eu já estava ficando louco, a falta que sentia dela cortava meu peito como uma lamina extremamente afiada. Algumas vezes encontrava-me aos prantos pelos cantos da casa, eu não suportava essa falta eu tinha que encontrá-la depressa, já não sabia o que fazer, foi quando parei e pensei:
_Se ela é um fantasma no mundo dos mortos deve estar, e a casa antiga era sua única conexão com o mundo dos vivos.
Seguindo este raciocínio tive uma idéia no mínimo genial, chegando em casa após o trabalho, olhei a volta, meu teto era de ripas de madeira, fui até meu armário de roupas, peguei alguns panos e amarrei uns aos outros e mais um em forma de laço, amarrei na ripa do teto, subi em uma cadeira e enrolei o pano em meu pescoço. Eu estava desesperado precisava tocá-la mais uma vez, meu coração não sabia o que era felicidade dês de que ela deixou de aparecer o único remédio era que eu fosse atrás dela onde ela estivesse, eu estava disposto a dar minha vida para vê-la. Então uma solitária lagrima desce de meu olho esquerdo, lagrima de felicidade por ter achado a saída desse sofrimento, verifiquei se o pano estava bem firme e sem demorar chutei a cadeira de lado. A principio não era tão ruim, mas após um minuto o ar que faltava começava me dar desespero, minha cabeça parecia estar inchando eu sentia que a qualquer momento ela podia explodir, a sensação era horrível, por um minuto tentei me livrar do pano que me enforcava, mas foi em vão nem que eu me quisesse poderia voltar atrás agora.
Minha visão foi escurecendo aos poucos, toda a angustia que me abatia segundos antes, aliviou sentia uma paz, paz eterna foi então que vi minha vida escorrer entre meus membros e flutuar, foi um dos momentos mais felizes que tive, assim como o vento eu era soprado para cima... era tão nostálgico eu mal podia esperar por meu destino agora... quando der repente sou puxado com muita força para baixo e minha trajetória foi invertida de forma violenta, eu descia e descia cada vês mais, quando tudo que eu via era apenas o vermelho quente.
Foi ai que eu me toquei de meu grave erro, quando se tira a própria vida assina-se um contrato com o Diabo, meu destino agora era queimar pela eternidade e nunca mais terei a chance de vê-la novamente, aproveitarei cada segundo de meu sofrimento e pagarei pela eternidade por minha tolice.
FIM

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Mistério Da Donzela de Branco SEGUNDA PARTE



Acordei no dia seguinte com o sol golpeando minha face, adiantei-me a janela para examinar o dia, batia uma manhã linda a luz reluzindo nas flores do jardim visinho, a rua estava cheia de pessoas era uma manhã agitada de sábado. Lembrei da madrugada de hoje, lutei contra a dor de cabeça provida da ressaca e consegui reformular o lindo rosto da donzela em minha mente, levei rapidamente minha mão até o bolso na esperança de encontrar o pingente deixado para trás por ela, mas para minha frustração não encontrei nada, pensei que poderia ter deixá-lo cair enquanto caminhava embriagado até minha casa.
Após tomar meu café da manhã vesti-me e fui para a rua, um pouco angustiado pela madrugada que passei resolvi passar pela rua onde encontrei a jovem, ao chegar lá fui a frente da casa antiga onde a donzela havia parado tristonhamente na madrugada de hoje, e examinei a casa por fora, ela tinha aspecto muito antigo parecia estar caindo aos pedaços, era muito grande e rústica. Então lembrei que a donzela havia me feito um convite de voltar à vê-la na próxima madrugada.
Bateram 1:00 da manhã em meu relógio eu peguei o melhor vinho de minha adega e fui direto a rua da casa antiga. Chegando lá instalei-me em uma calçada e pelejei até as 2:00 da manhã aguardando a jovem, mas não havia nem sinal dela, olhei a garrafa de vinho num louco desejo de bebê-la, mas me contive pois meus planos para esta garrafa eram outros, puxei um maço de cigarro e fui fumando a madrugada toda até baterem as 4:00 da manhã foi quando me toquei que ela não apareceria nesta madrugada recolhi-me dali direto para casa.
Na manhã seguinte me peguei pensando nela o dia inteiro, pensando em sua bela face, em seus lindos cabelos negros, em sua pele lisa e pálida, quando resolvi tentar vê-la mais uma vez, só que dessa vez peguei uma garrafa de vodka e fui bebendo até a rua, já eram 1:40 da manhã e eu havia bebido grande parte da garrafa, já não relacionava o que é real ao que era fantasia. Fui passando em frente a casa antiga e olhando para uma janela do andar de cima, vi uma imagem meio desfocada de uma pessoa me observando, larguei a garrafa no chão e pulei o portão da casa, eu sabia que a pessoa era a linda mulher que estive esperando a final quem mais seria?
A porta da casa estava trancada com algumas madeiras peguei uma tabua no chão e removi as trancas da porta, ao entrar na casa totalmente escura senti no ar um aroma de poeira e mofo, mal pisei na casa e já podia ouvir sua voz me chamar de forma tão doce e suave que meus ouvidos desejavam nunca deixar de escutá-la, fui me aprofundando no interior da casa, os moveis eram muito antigos a maioria coberto por panos brancos, haviam alguns quadros mas estavam tão cheios de poeira que mal podia ver o que havia neles, a voz ia me chamando ao andar de cima da casa, pisando falso subi as escadas num esforço descomunal.
Ao chagar no andar de cima deparo com um corredor comprido com varias portas do lado e apenas uma aberta, quando escuto:
_Venha aqui estou te esperando dês da madrugada de ontem.
Eu fui velozmente até a porta que estava aberta ao chegar lá, ela estava parada em frente a janela a luz do poste entrando de fora enfatizava sua formosura por baixo do pano branco de seu vestido delicado, ao ver aquela cena meu coração encheu-se de nostalgia e de medo pois algo nela soava fantasmagórico.
Ali mesmo naquele quarto escuro e medonho, nós nos deitamos e ao tocar sua pele macia eu sentia que seu corpo padecia de frio intenso, frio esse que não era páreo para meu corpo ardente de paixão, foi a noite mais prazerosa e misteriosa que tive na vida, durou horas seguidas mas por fim não agüentei cai em sono profundo, quando acordei era quase dia. Olhei rapidamente a volta e não havia nem sinal da misteriosa donzela de branco, um pouco angustiado e muito satisfeito, voltei para casa pensando quando iria a ver de novo.
CONTINUA